BADERNA: Toffoli derruba soltura de Lula e Brasil se pergunta o que é o STF. PGR pediu que Supremo revogasse decisão monocrática

0
Lula vai continuar preso

A baderna jurídica causada irresponsavelmente pelo ministro do STF, Marco Aurélio de Mello nesta quarta-feira 19, mostra que no Brasil, ainda é preciso muito esforço para que as leis sejam cumpridas. É preciso rever a forma de composição das cortes supremas com urgência.

Em uma canetada Mello decidiu sozinho reverter uma decisão colegiada do próprio tribunal a que pertence e afrontar a população e as leis.

Até quando vamos ficar a mercê de perigosas manobras políticas é a pergunta que centenas de brasileiros, que prontamente se dirigiram ao STF, se fizeram durante uma manifestação que aconteceu por toda à tarde, até que Dias Toffoli acatasse o pedido da PRG para desfazer o desvario de Marco Aurélio.

Para a PGR, a soltura dos presos prejudicaria a estabilidade do sistema jurídico, o que ela não sabe é que esse sistema está por um fio. A verdade é que ao afrontar as regras, Marco Aurélio despertou a raiva e a ira de milhões de cidadãos brasileiros que querem mudança no judiciário corrupto.

Mesmo Raquel Dodge dizendo que é preciso garantir um sistema jurídico estável e previsível, como fez no pedido, é preciso reformular o processo de escolha dos ministros que compõem o STF e demais tribunais superiores, inclusive de contas, enlameado até o pescoço de denúncias de corrupção de ministros julgadores.

O golpe de Mello para soltar Lula, mesmo que isso causasse a liberdade de milhares de criminosos de toda espécie, melou, mas nós brasileiros temos de ficar atentos. O golpe era uma facada na Lava Jato e soltaria de imediato pelo menos 35 presos do colarinho branco, corruptos presos apenas por esta operação.

Marco Aurélio, não sentiu vergonha e sequer ruborizou a decidir e reafirmar durante a tarde que a decisão dele deveria ser cumprida.

Os advogados de Lula pareciam saber da decisão e entraram imediatamente com pedido de soltura do condenado, mas felizmente, na outra ponta, a juíza Carolina Lebbos, que cuida da execução da pena do ex-presidente Lula, responsavelmente não acatou o pedido e manteve Lula preso até a revogação do grave erro proposital de Marco Aurélio.

A Lava Jato, operação que fortaleceu no Brasil, as prisões contra corruptos poderosos, reagiu. Deltan Dallagnol disse que uma decisão equivocada, “Essa decisão nos pegou de surpresa. Foi tomada às vésperas do recesso, violando o princípio da colegialidade, no momento em que torna difícil buscar possibilidades de revisão, fugindo completamente dos parâmetros, de modo isolado dentro do STF, que quebra a estabilidade das decisões do próprio Supremo, o esquema de precedentes”.

Ele só não disse que a manobra certamente foi articulada, pensada para ser tomada no apagar das luzes, mas Aurélio sucumbiu diante da reação brasileira, dos juízes, procuradores e foi derrotado pelo presidente do STF que não quis segurar esse rabo de foguete.

Lula vai continuar preso e nós, brasileiros precisamos urgentemente ver nascer uma nova operação coordenada entre a Polícia Federal, a Receita Federal, o Ministério Público Federal a tão sonhada Operação Lava Toga, que investigue porque ministros e juízes tomam decisões tão absurdas, contrariando todas as regras e leis.

Comentários