Audi TTS: um verdadeiro foguete! Modelo é 50 cavalos mais potente que a versão de entrada, gruda no chão e não desgarra da curva – e ainda te ajuda a enxerga-la melhor

0
AUDI TTS: FOGUETE QUE CHEGA AOS 250 KM/H (FOTO: DIVULGAÇÃO)
AUDI TTS: FOGUETE QUE CHEGA AOS 250 KM/H (FOTO: DIVULGAÇÃO)

AUDI_TT_670x450

1458600223924

BSB – O Audi TTS foi apresentado no último dia 19 em São Paulo trazendo sutis mudanças visuais em relação à versão de entrada TT, lançada no Brasil há pouco mais de um ano. Sutis no visual, que traz espelhos retrovisores cobertos em alumínio, suspensão rebaixada em dez milímetros, pinças de freio vermelhas, grande frontal larga e baixa e acabamento exclusivo na soleira das portas.
Ok, é pouco diferente para quem vê. Para quem dirige, porém, o TTS virou um verdadeiro foguete. Dirigimos no Autódromo de Interlagos, na mesma noite em que também aceleramos o Audi RS3 Sportback.
A razão da escolha pelo horário do test-drive foi justamente a inteligência dos faróis Full Led do Audi TTS, que já vêm de série no modelo e contêm ajuste automático de altura e lanternas direcionais. Ao usar a seta indicadora de direção ou até mesmo ao virar o volante de base reta, luzes auxiliares se acendem para o lado da curva onde o carro está apontado. Na penumbra de Interlagos isso era bastante notado.

Na fria análise dos números, o TTS é menos potente que o hatch. São 286 cavalos contra 367 do RS3 – 81 cavalos de diferença, no entanto o carro do teste anterior conta com um motor maior de cinco cilindros 2.5 turbo -, mas essa disparidade é compensada pelo peso mais baixo do coupé, 155 quilos mais leve. Tanto que a aceleração de 0 a 100 é apenas 0,4 segundo mais lenta (4,7 segundos). Ele é 1,2 segundo mais rápido na aceleração do que a versão TT.
Não é uma potência para se jogar fora. Ele alcança os mesmos 250 km/h de velocidade final eletronicamente limitada. O motor é o 2.0 TFSI, que apesar do mesmo deslocamento do TT, tem comando de válvulas e outras peças diferenciadas – por isso os 50 cavalos a mais em relação à versão de entrada.
Seu peso mais baixo se deve aos materiais utilizados em sua fabricação, com cinco ligas diferentes de aço e alumínio. Características que resultam em uma condução extremamente prazerosa. Fora isso, sua tração integral, sua leveza e distância em relação ao solo fazem do Audi TTS um carro de tocada extremamente divertida e esportiva. A partir de 120 km/h, um defletor se levanta na tampa do porta-malas para otimizar a resistência aerodinâmica e a pressão vertical, deixando-o ainda mais estável.

DETALHE DO FAROL DO AUDI TTS (FOTO: DIVULGAÇÃO)
DETALHE DO FAROL DO AUDI TTS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Ele tem menos potência que o RS3, mas e daí? Ele percorre as subidas do circuito com tanto vigor quanto, cruza a linha de chegada a mais de 220 km/h, e ainda permite ao motorista frear bem próximo do ponto ideal – entre 150 e 100 metros da tomada da curva – permitindo um contorno muito mais rápido e uma retomada também brutal.
No interior, elegância (e tecnologia) pura. O Audi Virtual Cockpit é o grande chamariz formado pelo conjunto de instrumentos e a tela MMI, que permite ao motorista escolher o tipo de visualização no painel – e inclui até GPS.

Os bancos têm apoios de cabeça integrados e são revestidos de couro Napa Fina, oferecendo apoio lateral ao corpo dos ocupantes nas curvas – e vêm com três opções de cor: vermelho, cinza ou preta.
Um carro ágil, estável e bastante permissivo para o uso urbano, a partir de R$ 299.990.

Fonte: GQ Brasil - - POR CLEBER BERNUCI
Comentários