Saúde ladeira abaixo: Sarampo volta a infectar brasileiros Doença foi considerada erradicada em 2015, mas voltou a afligir brasileiros

0

O descaso das autoridades com a saúde pública reflete no adoecimento da população. Uma das viroses que foi dura e longamente combatida no Brasil, até sua erradicação total, voltou a afligir os brasileiros e já infectou mais de 4 mil pessoas em 2018.

O Ministério da Saúde divulgou dados que mostram o crescimento dos casos e confirmam surtos de sarampos no Amazonas e em Roraima. Até o dia 1° de agosto, 1054 casos haviam sido confirmados e 4.470 estão sendo investigados somente no Amazonas.

Em Roraima, 106 casos suspeitos ainda estão sendo investigados, mas 208 foram confirmados. No Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul já são 14 casos confirmados. No Pará, 2 casos confirmados e em Rondônia e São Paulo, 1 caso confirmado cada.

O Ministério da Saúde lançou uma campanha de vacinação com objetivo de imunizar mais de 11 milhões de crianças contra o sarampo e a poliomielite em 2018, que seriam 95% nesta faixa etária. A partir do dia 6 de agosto, crianças entre 1 e 5 anos devem ir ao posto de saúde que já tenham sido vacinadas anteriormente.

O sarampo é uma doença infecto-contagiosa provocada pelo Morbili vírus e transmitida por secreções das vias respiratórias como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse.  O período de incubação, ou seja, o tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas, é de cerca de 12 dias e a transmissão pode ocorrer antes do aparecimento dos sintomas e estender-se até o quarto dia depois que surgiram placas avermelhadas na pele.

AtençãoO sarampo é uma doença potencialmente grave. Em gestantes, pode provocar aborto ou parto prematuro.

Sintomas

Além das manchas avermelhadas na pele (exantema maculopapular eritematoso), que começam no rosto e progridem em direção aos pés, podemos citar os seguintes sintomas: febre, tosse, mal-estar, conjuntivite, coriza, perda do apetite e manchas brancas na parte interna das bochechas (exantema de Koplik).

Otite, pneumonia, encefalite são complicações graves do sarampo.

Tratamento

Por ser uma doença autolimitada, o tratamento é sintomático, isto é, visa ao alívio dos sintomas. Paciente com sarampo deve fazer repouso, ingerir bastante líquido, comer alimentos leves, limpar os olhos com água morna e tomar antitérmicos para baixar a febre. Em alguns casos, há necessidade de tratamento para o aumento de imunidade

Vacina

A vacina anti-sarampo é eficaz em cerca de 97% dos casos. Deve ser aplicada em duas doses a partir do nono mês de vida da criança. Exceção feita às mulheres grávidas e aos indivíduos imunodeprimidos, adultos que não foram vacinados e não tiveram a doença na infância também devem tomar a vacina.

Obs: “Se estiver com suspeitas ou apresentar sinais da doença, é procurar  imediatamente uma unidade de saúde para o diagnóstico precoce e evitar a transmissão aos familiares, colegas de escola e do trabalho e para os vizinhos. O sarampo é uma doença altamente transmissível. A pessoa com sarampo transmite a doença para outra pessoa ao falar, respirar e tossir.”

Verifique seu cartão de vacinação, vá a uma unidade de saúde e previna-se não só a você, mas toda a sua família de adquirir o aparecimento desta doença..

Comentários